Top blogs de receitas
Chef Ratatui é o blog que vem ultrapassar barreiras geográficas... apesar de ser um espaço virtual pretende-se que se sinta ao meu lado a confeccionar as melhores receitas de culinária... simplesmente a Receita para o Bem-Estar!
Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

09
Out
13

Hippophae rhamnoides

 

O espinheiro marítimo é riquíssimo em vitamina C (conteúdo médio de 695 mg por 100 gramas, muito superior a do kiwi e dos cítricos). A polpa do fruto em estado natural é muito ácida (adstringente) e oleosa, pouco agradável ao gusto. O congelamento diminui as propriedades astringentes e assim a polpa pode ser consumida na forma de suco ou na preparação de geleias, doces e licores.



Hippophae é um género botânico pertencente à família Elaeagnaceae. Compreende cerca de uma dezena de espécies, das quais a mais conhecida, Hippophae rhamnoides (popularmente chamada espinheiro marítimoespinheiro-cerval marítimo ou falso-espinheiro 1 , é usada na preparação de cosméticos, xaropes e sucos.


O gênero Hippophae está presente em uma vasta área que vai da Europa à Asia, incluindo o norte da China, Mongólia, Índia, Nepal, Paquistão, Rússia, Itália, Inglaterra, França, Dinamarca, Países Baixos, Polônia, România, Finlândia, Suécia e Noruega. Mais de 90% da área de cultivo, cerca de 1,5 milhões de hectares, encontra-se na China, onde a Hippophae rhamnoides é empregada para prevenir a erosão do solo, além de servir como alimento e para a produção de medicamentos.2 . O arbusto atinge de 0,5 m a 6 m de altura, e raramente chega a 10 m, na Ásia Central, em zonas secas e arenosas. É resistente ao sal do ar e da terra, mas precisa de muito sol sol, não se adaptando a locais sombreados por árvores. Nos países da Europa Ocidental, encontra-se sobretudo nas zonas costeiras, onde o sal proveniente do mar não favorece a presenças de plantas maiores. Na Ásia Central, a H. rhamnoides distribui-se nas zonas de clima árido e semidesértico, onde outras plantas não sobrevivem. Na Europa Central e na Ásia, nas zonas subalpinas de até 1500 m de altitude, é encontrada na linha das árvores ao pé das montanhas e em outros lugares ensolarados.


Bom apetite!

publicado por Chef Michael Rocha às 22:18
06
Out
13


Tipo de prato: Bolos Contemporânea

12 Pessoas
Médio

Ingredientes

  • Ovos3
Açúcar200 g
  • Leite150 g
  • Farinha com fermento300 g
  • Cacau em pó3 colheres de chá
  • Essência de baunilhaq.b.
  • Chocolate de leite, aos quadrados100 g
 

Preparação

 

Em primeiro lugar deverá colocar as forminhas de papel dentro de outras em alumínio ou silicone (para não se molharem).

TMX – Bimby: Colocar a borboleta. Bater os ovos com o açúcar 5 min/37º/vel 3,5. Adicionar o leite, a farinha, a essência e misturar uns segundos na vel.3, até ficar homogéneo.

Tradicional: Bater os ovos com o açúcar até dobrar de volume e obter um creme esbranquiçado. Juntar a essência de baunilha, o leite e a farinha e envolver até ficar homogéneo.

Dividir a massa em duas taças. Adicionar o cacau a uma delas e misturar bem. Distribuir a massa pelas forminhas, introduzindo um quadradinho de chocolate no meio. Metade serão de massa branca e outra metade de massa de cacau. Com a ajuda de uma palhinha, “aspirar” um pouco de massa branca e formar bolinhas afastadas nos queques de cacau, pressionando cuidadosamente a ponta da palhinha.

Repetir a operação, com outra palhinha, para os queques brancos.

TMX-Bimby: Colocar meio litro de água no copo e programar 25min/Varoma/Vel 1. Entretanto, colocar as forminhas na Varoma, cobrir com papel de alumínio e passado 10 minutos, quando água estiver a ferver, colocar a Varoma por cima do copo. Deixar cozer até ao final do tempo (15 min). Repetir a operação para os restantes queques visto que não cabem todos de uma vez.

Panela a vapor: Colocar um pouco de água numa panela que coza a vapor e levar ao lume. Quando a água estiver a ferver, colocar os queques na parte superior e cobrir com uma folha de alumínio. Colocar a tampa. Cozer cerca de 15 minutos. Repetir a operação para os restantes queques se não caberem todos de uma vez.

 

Bom apetite!

publicado por Chef Michael Rocha às 21:07

| B iografia |

 

Julgo que é mais importante mencionar alguns factos importantes como surgiu este gosto pela cozinha, onde tem origem esta vontade de “ser alguém” no mundo da cozinha?

Comecei a cozinhar muito cedo com a ausência da minha mãe. Não quero mentir, não sou muito bom em datas, mas com sete ou oito anos já cozinhava alguma coisa e com 10 anos cozinhava a sério e com 15 anos já era um cozinheiro por necessidade.

Quando comecei a trabalhar nesta área, aliás, quiseram-me na Cozinha por mero acaso, o Cozinheiro para uma festa de Fim de Ano de uma Empresa de Eventos, despediu-se a ultima hora e quem acham que foram buscar. É mesmo, como eu digo na “hora certa no local certo”. Tentei durante estes anos todos ser cada vez melhor e aperfeiçoar-me. Tinha uma vocação natural, é o que me diziam, um dos meus grandes segredos do empenho e do suposto sucesso que tenho tido é nunca me ter desviado deste caminho de ser já um cozinheiro chefe como ter um Dom para tal e ponto final.

| V   isitantes |

cozinheiro(s) online
últ. comentários
Uii! São mesmo deliciosos! Thanks!
Adoro estes petiscos!
Olá Susana, é sempre bom receber noticias tuas. Ob...
Ficou uma maravilha!
Olá Susana,Obrigado pela sua opinião e volte sempr...
Uma excelente ideia, a de usar os cookies na base....
Olá Susana,Ficaram deliciosos, mesmo! Faz-me lembr...
Ficaram tão gulosos...Bjs, Susanahttp://tertuliada...
Olá Susana,Uiii! Se é! Depois da-me o teu feedback...
Deve ser uma delicia, adorei.Bjs, Susanahttp://ter...